Histórico

 

 

 

O Cônego Domênico Rangoni nasceu na Itália, em Medina, Província de Bologna, no dia 1º de março de 1.915.
Cursou os estudos em Bologna e Turim, onde foi ordenado Sacerdote, a 29 de junho de 1.938, na Catedral de Turim, pelo Cardeal Fossati.

Autorizado pelo Cardeal Nasalli Rocca da Diocese de Bologna, onde se encontra ligado até hoje, veio o Cônego Domênico Rangoni para o Brasil, para a Diocese de Santos. O então Bispo Don Idílio José Soares, enviou o Padre Domênico, para o Guarujá, no dia 14 de março de 1.954 para ocupar o cargo de Vigário da Paróquia de Nossa Senhora de Fátima e Santo Amaro. 

Dedicou-se incansavelmente aos trabalhos pastorais, procurando conscientizar o povo de sua paróquia dos ensinamentos evangélicos, estendendo seu trabalho na construção e manutenção das conhecidas obras sociais.

Terminou a construção da Igreja Matriz de Guarujá.
Construiu o Salão Paroquial e a Residência do Vigário
Construiu a Capela São Paulo na Praia da Enseada
Construiu a Capela Cristo Rei na Praia de Pernambuco
Melhorou a Capela de Vicente de Carvalho, com a construção da Residência do Vigário

Após haver estruturado o trabalho paroquial nos bairros, dedicou-se ao trabalho social.

Fundou a Sociedade Santamarense de Beneficência do Guarujá
Colaborou com a Prefeitura Municipal de Guarujá na instalação do Pronto Socorro Municipal
Construiu o Hospital Santo Amaro, onde também esta localizada a Capela de Nossa Senhora da Consolata e Santa Rita de Cássia
Fundou a Casa da Criança da Paróquia de Guarujá
Construiu o Ninho Maternal com Regime Semi-Internato
Construiu o Posto Médico Social na Praia de Pernambuco
Fundou o Voluntariado de Assistência Social de Guarujá ( V.A.S.G. )
Assumiu o funcionamento do Centro Comunitário João Paulo II

Dedicou-se também ao trabalho no Campo Educacional.

Durante 15 anos exerceu a função de Presidente do Mobral no Município de Guarujá;
Instituiu a Faculdade de Educação, Ciências e Letras “Don Domênico”;
Criou a escola de 1º Grau “Don Domênico”;
Criou o Curso de Educação Infantil;
Instituiu a Faculdade de Enfermagem e Obstetrícia “Don Domênico “;
Instituiu a faculdade de Fisioterapia e a Faculdade de Nutrição;
Instalou o Curso de 2º Grau na escola “Don Domênico “;
Instalou os Cursos de Pós Graduação;

Em outubro de 1983, através de carta enviada pelo Cardeal E. Martinez recebeu de sua Santidade o papa João Paulo II, elogios e uma Benção Especial pelo trabalho social desenvolvido em Guarujá. Sua Santidade o Papa João Paulo II, tomou ciência das atividades desenvolvidas por Don Domênico, através de uma brochura da obras que lhe foi entregue “em mãos” por sua Excia. Don Lucas Moreira Neves, então Secretário do Sacro Colégio no Vaticano, na época.

Todas as atividades desenvolvidas pelo Cônego Domênico Rangoni, sempre tiveram o apoio da população, da Sociedade Guarujaense e da Igreja.

Cônego Domênico Rangoni durante a doença que o vitimou foi assistido pelo seu médico e grande amigo Profº Dr. Emílio Mattar.
O Cônego Domênico Rangoni faleceu no Hospital Sírio Libanês, na cidade de São Paulo - SP, a zero hora do dia 08 de novembro de 1987, vitima de Câncer.

Hospital Santo Amaro

Em 1954 ocorreu a vinda do vigário Domênico Rangoni para assumir a paróquia do Guarujá.

A convivência junto a população trouxe ao pároco a percepção da distinção de classes sociais. Dinâmico, carismático, observou a necessidade de atendimento da população na área de saúde. Observando a dificuldade de uma parturiente ao dar a luz, por vezes, ter que atravessar a balsa para atendimento em Santos, resolveu mobilizar a parte privilegiada da população no sentido de angariar fundos para viabilizar seu sonho, a primeira maternidade do Guarujá.

Em 1962 após campanhas beneficentes, generosos donativos e recursos da Prefeitura Municipal de Guarujá e dos Governos Estadual e Federal, foi inaugurado o Hospital Santo Amaro, com atendimento de maternidade e Pediatria com 100 leitos.

Com o crescimento da população, sentiu-se a necessidade de ampliação do atendimento médico para outras especialidades. Novamente com doações e campanhas em 1983 foi sanada esta necessidade da população, agora com 400 leitos.

O Cônego Don Domênico esteve a frente do hospital até sua morte em 1987. Desse período o Hospital vem sendo administrado por vários colaborados, entre eles:

Sociedade Santamarense de Beneficência do Guarujá que é uma entidade civil sem fins lucrativos, mantenedora do hospital de 08/11/1987 à 28/02/1991.

Contratada a Sociedade Beneficente São Camilo para administrar o Hospital de 01/03/1991 à 25/10/1992.

Novamente a Santamarense retorna a administração do hospital de 26/10/1992 à 30/03/1993.

No dia 31/03/1993 é decretada a Intervenção Municipal. A Prefeitura Municipal de Guarujá, juntamente com as equipes multi profissionais, vem investindo continuamente em alas assistênciais, em departamentos operacionais: para tanto houve aquisição de vários equipamentos de ponta da área de informática, cirurgia e instrumentação, além de diversos utensílios. Houve também investimentos em instalações, reformas e ampliações, culminando inclusive com a criação de novas alas assistênciais.

O hospital atende toda população carente sem discriminação, é o único hospital da cidade com atendimento SUS, ( 80 % são SUS e os outros 20 % são convênios e particulares) ressalta-se que também atende os municípios vizinhos.

No dia 21/01/2008 a Prefeitura decreta o fim da intervenção sob o Decreto Municipal N.º 8310/2008, sendo devolvido novamente para a Associação Santamarense de Beneficência do Guarujá.

Após 15 anos sob Intervenção Municipal, período no qual passou por inúmeros administradores de diversos segmentos, profissionais médicos, engenheiros, empresários, etc, sem direcionamento de médio e longo prazo e muitas vezes sem continuidade das ações.

Levaram a Instituição a um nível de sucateamento de instalações e defasagem tecnológica sem precedentes na sua história.

A despeito de algumas conquistas, no período de Intervenção, que promoveram habilitações em alta complexidade em algumas áreas, tais como: Terapia Renal Substitutiva, Neurocirurgia, Cirurgia Vascular, UTI II, UTI Neonatal e Oncologia.

A Unidade Hospitalar não soube preservar o programa de Residência Medica por total inabilidade gerencial. Nesse cenário, após a suspensão da Intervenção, mesmo com suas diretrizes de médio e longo prazo, definidas após elaboração de Planejamento Estratégico, a Instituição encontra dificuldade em realizar investimentos que propiciem uma modernização do seu parque tecnológico e instalações.

No campo operacional sofre sucessivamente pressão para internações de baixa complexidade devido ao perfil dos equipamentos de saúde do município; gerando AIH (Autorização de Internação Hospitalar) pouco vantajosas no quesito remuneração e pacientes com um perfil de permanência mais prolongado.

Combinação absolutamente perversa para o desenvolvimento e modernização do Hospital, uma vez que dificulta o equilíbrio financeiro e acarreta carência de leitos para a região e, como conseqüência natural, aumenta o custo operacional dos leitos oferecidos ao Sistema Único de Saúde.

Veja nosso vídeo institucional... 

 Tratamento humanizado, aliado a dedicação e atenção com seus pacientes, fazem do Hospital Santo Amaro um centro de   referência no atendimento à mulher, à criança e a toda a família.

Siga-nos

O Hospital Santo Amaro esta presente nas principais redes sociais

Nosso Twitter